quarta-feira, 13 de agosto de 2008

BREVE HISTÓRIA DO CAFÉ

Nem sempre se tem a percepção de a que ponto o café, aparecido no século XV, mudou o mundo. Se é bebido por milhões, depois de ter conquistado o planeta, se se tornou a segunda bebida consumida no mundo, depois da água ( o que é contestado pelos amantes do chá), é porque nos trouxe, e continua a trazer, extraordinários benefícios para o corpo e para o espírito e, acima de tudo, um admirável factor de convivialidade - do Japão aos Estados Unidos, passando pelo Médio Oriente e pela Europa, o café aquece a alma e aproxima as pessoas. Porque exige uma preparação, porque depois de servido é preciso esperar alguns momentos antes de ser bebido. O café não é, decididamente, uma dessas bebidas em lata que se consomem sm mesmo pensar no que se está a beber. Exige um pouco de atenção e tempo. Um tempo que, por todo o mundo, as pessoas gostam de partilhar. Em família, ao pequeno-almoço; nas tendas dos beduínos ou nos corredores dos escritórios; e, naturalmente nos cafés, o universo que lhe é próprio e onde acontecem os encontros, as trocas de ideias. O café é um mensageiro.

Alain Stella, escritor.

5 comentários:

Supermassive Black-Hole disse...

informação útil agradece-sempre... ou não fosse eu um viciado em café...

sleeping beauty disse...

És viciado em café e não em Cafés?.
Certamente já estiveste nestes dois cafés, ícones da capital e do Porto.
Podes dizer-me o nome de outros que conheças, tão bonitos como estes dois? Em Portugal, claro.
Agradecia-te essa informação.

Supermassive Black-Hole disse...

Já estive nesse café. Sou viciado em cafés e em café, também é verdade.

Cafés giros?? Essa é mais dificil, em Portugal é quase tudo cafés de esquina...

há o Lusitano, o Cais na ribeira, o Lais de Guia em Matosinhos, a Quinta da Lagoa (mais por causa da vista que tem sobre o metro) também em Matosinhos.
O Vianna em Braga, na arcada barroca, ainda em Braga a Brasileira, ainda em Braga a Veneza, que é mais pela confeitaria, ainda em Braga um cujo nome desconheço mas que tem uma enorme esplanada, mesmo abaixo do serviço de Psiquiatria do Hospital de Sao Marcos. Ainda em Braga, é obrigatorio o café do Theatro Circo, quase todos os cafés da avenida que desce até à estação dos comboios.
Em Viana do Castelo há uma praça inteiramente dedicada aos cafés e às suas esplanadas que é um ponto obrigatorio no verão, uma vez que tem uma livraria pertíssimo.
Em Caminha, que também vale a pena, há uma praça semelhante, com casas de pedra a toda a volta, tudo com um ar muito medieval.
Em Guimarães há o Clube Latino (para fumadores), e todos os que ficam na praça da Igreja de Nossa Senhora da Consolação.
Vou averiguar nomes especificos e depois partilho a minha hitlist.
Um beijo.

sleeping beauty disse...

Obrigada supermassive black-hole.
As tuas informações são preciosas.
Alguns já conheço, mas tenho pena de não ter em meu poder fotos.
O Lusitano no Porto, por exemplo. é um café/bar lindíssimo.
Fiquei curiosa pela quantidade de cafés existentes em Braga.
Realmente és viciado em café e cafés.
Deve ser giro fazer um passeio por Portugal, tendo como roteiro os cafés. Claro que em zonas mais urbanas. Cafés que nos comunicam a ascensão social do país nas várias épocas. As tertúlias com escritores e intelectuais.
Tenho de regressar a Braga, não para visitar a Centésima Página, mas sim, para ficar deliciada com a descoberta dos cafés que referes.
E vai pensando em livrarias.
Será o meu próximo trabalho.
Um beijo

Supermassive Black-Hole disse...

estou de férias... podemos pensar nisso