sexta-feira, 5 de setembro de 2008

Escuridão Sem Fim Pintura de ISABEL DE SÁ


4 comentários:

MADRUGADA... disse...

«Não se trata propriamente de vida. Chegada é a hora propícia às sombras.
Espelhos andam pela casa, crianças tocam em oiro, gavetas e colares; núpcias
de infância. Água e venenos. Brilham olhos de vidro.
O voluntariamente incurável. Asa na palma da mão.»

REPETIR O POEMA
Isabel De Sá

.
Cumprimentos

Supermassive Black-Hole disse...

eu adoro esta fase da Isabel... Fantástico

sleeping beauty disse...

Luís Mendes
Vejo que conhece a poesia de Isabel de Sá, e terá o livro Repetir O Poema. Um belo livro.
Visitei o seu blog e já linkei nas minhas "ligações perigosas"
Gostei muito do "LASCIA CHIO PIANGA MIA CRUDA SORTE " do Handel, que conheço bem.
Volte sempre.

sleeping beauty disse...

black-hole
É mais que fantástico, é arrepiante.
"O Brilho da Lama" está todo lá.
Quando esta exposição esteve em Miguel Bombarda,na galeria Símbolo, a galeria não conseguia fechar. Eram tantos os visitantes e munidos de máquinas digitais. Deve haver por aí muita foto escondida...ou para fazer "santinhos".