quarta-feira, 29 de julho de 2009

Luís Miguel Nava

EM ENTRELINHAS

Tem furos na consciência, este rapaz. Tem a memória
em cacos. Que fará da minha infância quando entrar no
rasgão com que deu a todo o comprimento dela? Que sabe
ele do labirinto onde uma letra se extravia ou do horizonte
em que pressinto um sublinhado? Ignoro o que ele fará,
bem como o que dirá ao ver num poema o céu em entre-
linhas.

A Inércia da Deserção, editora & etc, Lisboa, 1981

3 comentários:

Supermassive Black-Hole disse...

este é que era...

sleeping beauty disse...

este também desertou para o Paraíso... Vamos ficar eternamente à espera de Godot...

Luís Filipe Nunes disse...

Não estará equivocada no título do livro? Digo isto sem o ter,poderá até constar igualmente nesse livro, mas digo isto porque o mesmo é um dos do livro "Onde à nudez".

Gosto muito deste espaço.


Cumprimentos.