domingo, 21 de março de 2010

DIA DA POESIA - 21 DE MARÇO

CANÇÃO DA MAIS ALTA TORRE


Que venha, que venha
O tempo da apanha.

Eu esperei tanto
Que tudo esqueci.
As raivas, o pranto
Acabam-se aqui.
E uma sede langue
Escurece-me o sangue.

Que venha, que venha
O tempo da apanha.

Como o descampado
De flores de abandono
Coberto, deixado
Ao incenso e ao sono,
Para voos atrozes
De moscas ferozes.

Que venha, que venha
O tempo da apanha.

Uma Época No Inferno, tradução de Mário Cesariny, Portugália Editora, 1960

1 comentário:

Leonardo B. disse...

[escrita que verdadeiramente sangra e comemora, acima de tudo, a vida]

um imenso abraço

Leonardo B.